SAÚDE MENTAL

fique bem!

Você já tomou remédio psiquiátrico? Não?

Que sorte a sua.

Ao contrário de você, 5,8% da população brasileira (11.548.577) tem depressão. Já distúrbios relacionados à ansiedade afetam 9,3% (18.657.943) das pessoas que vivem no Brasil. O transtorno afetivo bipolar atinge cerca de 1% dos brasileiros. Sem falar em esquizofrenia, dependência química, transtornos alimentares…

Então certamente alguém muito próximo a você trava silenciosamente uma luta diária contra a doença mental.

Se essa pessoa se trata, já é meio caminho andado. Ela venceu as barreiras do preconceito dos familiares e dos próprios profissionais de saúde, pediu e aceitou ajuda.

Com sorte, ela terá apoio e não abandonará o tratamento por pura vergonha ou falta de aceitação.

Quantas vezes ouço frases como `nossa, hoje em dia todo o mundo toma remédio tarja preta, ninguém tem mais nenhuma resiliência´. Sem dúvida, os excessos da modernidade, com seu desrespeito aos limites do corpo, ao ritmo circadiano, assim como as dificuldades da vida urbana, principalmente para os mais pobres, não contribuem para o equilíbrio psíquico.

O fato é que o índice mais grave de doença mental não para de subir.

O suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, após os acidentes de carro. Segundo a OMS, 788 mil pessoas cometeram suicídio em 2015.

Isso mesmo. 788 mil pessoas. Deve ser mais do que frescura ou falta de resiliência.

Não dá para ser mais objetivo e concreto.

Doença mental é coisa séria. O sofrimento é real, e o risco é real.

Se você está sofrendo, busque ajuda o quanto antes. Abra sua cabeça e aceite se tratar. O importante é você ficar bem.

Se você conhece alguém que está sofrendo, acolha. Incentive a busca do tratamento e a regularidade no acompanhamento e uso de medicação.

Fiquem bem.

Dra. Diana Vanni

CRM 100677

• Formada em Microbiologia e Imunologia pela McGill University, Montreal, Canadá
• Formada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
• Residência em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).
• Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, adquirido por meio de prova organizada pela Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO)
• Atuacão nos grupos de oncologia ginecológica (2003 a 2008) e cirurgia ginecológica minimamente invasiva (desde 2009) no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).
• Atendimento em vários hospitais referência, como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio Libanês, Hospital São Luiz, Hospital e Maternidade Pró-Matre Paulista.
• Fluente em Francês e Inglês.

Dra. Diana Vanni

CRM 100677

• Formada em Microbiologia e Imunologia pela McGill University, Montreal, Canadá

• Formada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

• Residência em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

• Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, adquirido por meio de prova organizada pela Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO)

• Atuacão nos grupos de oncologia ginecológica (2003 a 2008) e cirurgia ginecológica minimamente invasiva (desde 2009) no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

• Atendimento em vários hospitais referência, como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio Libanês, Hospital São Luiz, Hospital e Maternidade Pró-Matre Paulista.

• Fluente em Francês e Inglês.