Amamentação

obstetrícia

Depois que o bebê nasce, há o segundo parto: o parto da amamentação. Há mães que não desejam amamentar, e isso deve ser respeitado. Mas para as que desejam, muitas vezes se inicia uma fase de muita cobrança e pressão. Além do possível sofrimento físico, que vai desde as rachaduras no bico do seio até mastites, a mãe pode encarar sofrimento psíquico em torno do ato de amamentar.

Não produzir leite suficiente, por exemplo, é alvo de diversas críticas. Devemos lembrar, porém, que existem milhares de maneiras de ser uma mãe fantástica – e amamentar é apenas uma forma de demonstrar todo o amor pelo bebê. O momento de dar uma mamadeira pode também contemplar muito carinho e afeto.

Há grande enfoque ao papel da mãe quando ocorrem problemas durante a amamentação. No entanto, a alimentação pelo leite materno decorre da boa sucção pelo bebê, de um comportamento adequado da criança, além de um bom suporte dado pelo ambiente familiar.

Amamentar deve ser uma opção, atrelada a um desejo independente da pressão da sociedade para isso. Porém, é importante que esteja funcionando tanto para a mãe quanto para o bebê.

Diana Vanni – CRM 100677

• Formada em Microbiologia e Imunologia pela McGill University, Montreal, Canadá

• Formada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

• Residência em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

• Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, adquirido por meio de prova organizada pela Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO)

• Atuacão nos grupos de oncologia ginecológica (2003 a 2008) e cirurgia ginecológica minimamente invasiva (desde 2009) no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

• Atendimento em vários hospitais referência, como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Sírio Libanês, Hospital São Luiz, Hospital e Maternidade Pró-Matre Paulista.

• Fluente em Francês e Inglês.